quinta-feira, 1 de junho de 2017

Transistores - Uma breve recomendação

Talvez um dos problemas mais frequentes que encontramos seja o uso de transistores impróprios para uma determinada função.

Transistores de áudio em RF, transistores com elevado nível de ruído na entrada de pré-amplificadores, transistores com potência insuficiente em fontes, etc.

Analisamos alguns desses casos.

O primeiro a ser considerado é em relação ao uso dos transistores de áudio em circuitos osciladores ou amplificadores de alta frequência (RF).

Muitos transistores de uso geral para áudio como o BC548 possuem frequência de transição elevadas mas não são próprios para serem usados como osciladores ou amplificadores acima de uns 50 MHz.

Assim, estes transistores perdem rapidamente seu ganho no limite de sua frequência de operação e podem não amplificar ou oscilar convenientemente.

Podem ocorrer casos em que a oscilação é normal, mas podem ocorrer outros em que o aparelho não funciona.

Nos casos em que transistores de áudio são usados como osciladores, deve-se fazer a recomendação de experimentar algumas unidade, já que podem ocorrer faltas de oscilações ou amplificação em uma ou outra unidade.

Transistores de alta potência como o 2N3055 tem maior dificuldade ainda em oscilar em frequências elevadas ou amplifica-las.

Este transistor não vai além dos 1 MHz, e não serve para circuitos de RF.

Um transistor que é comumente usado como amplificador de potência em transmissores é o BD135, BD137, e BD139.

Estes transistores possuem uma frequência de corte elevada, mas são próprios para aplicação em áudio.

Podem ocorrer casos em que uma ou outra unidade tenha um bom ganho em altas frequências, podendo ser usada. No entanto deve ser feita a escolha num lote, de modo a se encontrar as que sevem e isso deve ser indicado no projeto.

O melhor para estes casos é usar transistores próprios para RF que apresentam muito maior ganho nas frequências desejadas e outras características que tornem o desempenho de um transmissor melhor.

É claro que no caso de transistores o projetista deve indicar que usou um determinado transistor numa função, mesmo quando impróprio, nas condições de que tinha a unidade disponível, ou então experimentou algumas unidades num determinado lote selecionando aquela que apresentava o desempenho desejado.