terça-feira, 9 de maio de 2017

Risada da Bruxa

Um aparelho que podemos esconder no quarto de alguém nas noites de tempestade.

O que descrevemos é um "sintetizador" eletrônico de risada, que imita, dentro das suas limitações, a risada estridente de uma bruxa, isso com meios totalmente próprios.

Alimentado por pilhas e instalado numa caixinha, esse aparelho pode ser facilmente escondido em qualquer lugar e acionado remotamente por meio de fios, ou mesmo sem fios.

O volume do som é bastante bom, servindo perfeitamente para assustar quem quer que seja.

Os componentes usados nesta montagem podem ser encontrados com certa facilidade em casas especializadas e alguns deles até aproveitados da sucata.

Uma risada estridente de bruxa tem de ser bem aguda e também "tremulante".

Elaboramos dois osciladores que são interligados conforme mostra a figura 1.



O primeiro é um oscilador de relaxação que utiliza transistor unijunção.

Este oscilador produz as tremulações de baixa frequência, ou seja, as variações de tom que caracterizam a risada.

A velocidade destas variações são dadas por dois componentes no circuito principal, o capacitor C2 e o resistor R2.

Se quiser uma risada mais rápida pode diminuir R2 para 12kΩ ou mesmo 10kΩ, e se quiser uma risada mais lenta pode aumentar C2 para 22pF.

O segundo é um oscilador de áudio que produz o som agudo que caracteriza o que seria o riso de uma bruxa.

A frequência deste oscilador, que usa transistores comuns, depende de C4.

Valores maiores, como 33nF ou mesmo 47nF, permitem obter ligeira mudança no timbre, tornando o riso mais grave.

O controle de um oscilador sobre o outro é dado por R4 e também por C3.

Um valor maior de R4, por exemplo, fornece som mais grave, e uma mudança de C3 para valores como 22pF ou mesmo 47pF fazem com que a risada se modifique.

O circuito é alimentado por 4 pilhas pequenas e seu consumo é relativamente baixo, o que garante boa durabilidade para as mesmas.

Os componentes usados na montagem admitem diversas equivalências e até o aproveitamento da sucata.

Por exemplo, pode ser aproveitado o alto-falante (tirado de um velho rádio), a barra de terminais que serve de chassi, todos os resistores e todos os capacitores.

Os transistores podem ter os equivalentes indicados na lista de material.

Apenas o 2N2646 é que não deve ser substituído por equivalentes, pois pode não ocorrer oscilação.

Na figura 2 damos o circuito completo do aparelho, com os valores da nossa versão básica.



Uma ponte de terminais é usada como chassi, veja figura 3.



São os seguintes os principais cuidados que devem ser tomados com os componentes durante montagem:

Observe com muito cuidado posição do transistor unijunção 2N2646, que tem um pequeno ressalto que deve ficar, como no desenho, para a esquerda e para cima.

Cuidado para não confundir os transistores Q2 e Q3, que são NPN do tipo BC548, BC547, BC238 ou BC237, com o transistor Q4, que é PNP e que pode ser o BC557, BC558 ou equivalente.

Veja a posição com o lado chato para cima.

Para os capacitores eletrolíticos (C1, C2) deve-se observar a polaridade.

A marcação de C4 pode ser 223 ou .022.

Se for de poliéster, as três primeiras faixas serão vermelha, vermelha e laranja.

Os resistores podem ser de qualquer tamanho, desde que tenham os valores indicados na lista.

Para uma montagem mais compacta, se os for comprar, use de 1/8W.

O suporte de pilhas tem polaridade que é dada pelas cores dos fios e são usados dois interruptores.

S é um interruptor de pressão que serve para disparar a risada.

Para um disparo remoto, o fio de ligação deste interruptor pode ser longo (até 10 metros).

Já S1, que é um interruptor simples e pode até ser eliminado, numa versão econômica.

É só não esquecer de tirar as pilhas do suporte quando o aparelho estiver fora de uso.

A ligação do alto-falante será feita por dois fios e ele pode ser de qualquer tipo.

Todo o circuito pode ser instalado numa caixinha como sugere a figura 4.



Para testar e usar o aparelho é simples.

Coloque as pilhas no suporte e aperte S, depois de ligar S1, se for usada, o aparelho deve emitir o som semelhante a uma risada.

Se algo ocorrer de forma diferente, verifique a montagem.

Confira todos os componentes.

Logo abaixo, na figura 5, damos um exemplo para acionamento remoto.



LISTA:

Q1 - 2N2646 - transistor unijunção

Q2, Q3 - BC548 ou equivalente (BC547, BC237, BC238)

Q4 - BC558 ou equivalente (BC557, BC307, etc.)

FTE - alto-falante de 8Ω

S - interruptor de pressão (botão de campainha)

S1 - interruptor simples

B1 - 4 pilhas pequenas - 6 volts

R 1 - 47Ω x 1 /8W - resistor (amarelo, violeta, preto )

R2 - 15kΩ x 1/8W - resistor (marrom, verde, laranja)

R3 - 10kΩ x 1/8W - resistor (marrom, preto, laranja)

R4 - 22kΩ x 1/8W - resistor (vermelho, vermelho, laranja)

R5 - 1kΩ x 1/8W - resistor (marrom, preto, vermelho)

C1 - 220pF x 6 volts - capacitor eletrolítico (podem ser os eletrolíticos para 6 volts ou mais)

C2, C3 - 10µF x 6 volts - capacitores eletrolíticos

C4 -22nF (223) - capacitor cerâmico ou de poliéster

Diversos:

ponte de terminais, fios, solda, suporte para 4 pilhas pequenas, etc.