quarta-feira, 19 de abril de 2017

Papo Cabeça 7

Quando era criança, meu pai me dizia que meu coração pertencia a uma única "mulher".

Me pediu várias vezes que eu a conhecesse a "íntimo".

Mas não quis.

Continuei com minha curiosidade.

Aos 20 anos, mais ou menos, eu me apresentei a ela e desde então não mais me separei dela, caminhamos sempre juntos.

O nome dela é Eletrônica.

Todos os cursos que fiz, todos mesmo, foram por correspondência, que agora, nos dias atuais, deram outro nome, mais bonito, mas com mesmo significado:

- E.A.D. ==> Ensino a Distância.

Fiz Cursos no Instituto Universal Brasileiro, Escolas Internacionais do Brasil, Occidental Schools, CEFET e Padre Reus.

Meu primeiro Curso pelo IUB foi:

- Áudio, Rádio, Televisão Preto e Branco e à Cores.

Depois, pelo IUB:

- Eletrônica Digital.

Depois, pelo CEFET:

- Eletrônica Digital e Microprocessadores.

Este curso do CEFET foi o melhor de todos da categoria, muito bom mesmo.

Daí por diante não parei mais.

Desde que me lembro que sou ser humano, gostei e amei duas "mulheres", a "Eletrônica" e a "Ufologia".

Em 2006, tive uma doença, chamada pancreatite, devido a cálculo biliar, ou pedras na vesícula, com 42 anos, pensei que era o fim.

Perdi minha Mãe ao Éter em 2004 e mais nada importava, mesmo com meu Pai ainda vivo.

Pancreatite, para cada 100 casos, 96 vão pro "saco", morrem, desencarnam, pintam o "baseco", vão pro além...

E eu não fui.

Estou aqui tendo esse papo com vocês.

Como dizia, em 2006, após ter Pancreatite, desisti de tudo e pensei muito de quando havia sido medicado com morfina.

Foram quase 90 dias em um hospital, fiquei 45 dias sem comer e sem tomar água, emagreci em dois meses, uns 45 quilos, com uma anemia mais que profunda.

Pensei muito quando estava no "Hotel HUB", assim chamo o Hospital Universitário de Brasília.

Eram meio litro de Tramol na veia pela manhã, para passar o dia sem sentir dor e meio litro à noite, para passar a noite sem sentir dor, e mesmo assim, ainda sentia muita dor.

Durante esse tempo, analisei o que havia feito até ali, e, comprovei que de nada valia a pena viver.

Deixei a Eletrônica e a Ufologia ao "Deus dará"...

Havia desistido de tudo, começava ali uma depressão à qual vivo até hoje, com mais intensidade.

Em 2007, no mês de junho, bem no final, meu Pai parte ao Éter, me abandonando de vez neste mundo cruel.

Aos poucos, fui restabelecendo, mas sempre sem o menor sentido.

A Eletrônica apareceu e aos poucos, a Ufologia voltou ao meu interesse.

O ser humano não sabe do que ele pode suportar, a dor da perda e da doença.

A Eletrônica me salvou várias vezes de muitas coisas, não me refiro a ganhos materiais, mas de ver a "feição" das pessoas ao reencontrar seu equipamento que antes não funcionava, agora funcionando muito bem.

Nenhum Técnico enriquece com a eletrônica, só quem tem uma "oficina" e, tem que ser Especializada e "Autorizada" de algum fabricante.

Mas é tão bom trazer à vida um equipamento "morto"...

Isso vale mais que tudo.

A eletrônica, para quem ama, de verdade é muito interessante, não é complexa quando sabemos como tudo funciona.

A simbologia dos componentes foi meu primeiro contato técnico com eletrônica teórica.

Comecei a adentrar na teoria da prática com as revistas Divirta-se com a Eletrônica, Be a Bá da Eletrônica, ABC da Eletrônica, Aprendendo e Praticando Eletrônica e de outras mais antigas, do falecido "Professor" Bêda Marques.

Bêda Marques merecia uma homenagem digna, mas como não atingia a classe predominante rica, influente, não satisfazia os princípios dos poderosos e atingia a classe dos menos favorecidos, com sua expressão e seu jeito humilde de ser, ficou no esquecimento.

Acho que Bêda Marques faleceu, desencarnou, em 2006.

Mas também tem outros, como Apolon Franzeres, também falecido, tem o Martins Francisco( ou Francisco Martins), Newton C. Braga e tantos mais que não me lembro agora.

Apolon Franzeres é veterano, tinha um estilo próprio de desenhar seus circuitos, e também da placa de circuito impresso, isso o diferenciava dos demais.

Mas, cada um tem seu estilo próprio.

Desde criança, fuçava equipamentos, até consertava alguns, mas sem nenhuma noção, sem teoria nenhuma, só prática.

Quantas televisões valvuladas e rádios também, efetuei os chamados consertos...

Mas fazia tudo com receios, desligava da tomada, procurava não tocar em nada que não sabia o que era.

Nos dias atuais, encontramos pessoas que tem dúvidas, não sabe de tal coisa.

Incrível isso, são pessoas preguiçosas.

Nas décadas de setenta, oitenta e até os anos noventa, era difícil o acesso ao que hoje temos de mão beijadas, seja na internet ou outros meios.

As literaturas técnicas eram difíceis de se obter, e quando encontrava, o valor não era tão amigável.

Os "esquemários" eram livrões enormes, tanto no tamanho, como no preço.

Os Databooks que hoje estão dando o nome de Datasheets eram muito raros e quando encontrava algum, não podia comprar pelo alto valor.

Não sei se você é agraciado, se nasceu em berço de ouro, mas Eu nasci Pobre e até hoje continuo na penumbra da pobreza.

Isso mesmo.

Para se ter uma idéia, desempregado desde 2013 e já faz muito tempo que nem bico aparece.

Tentei trabalhar como "Carregador e Descarregador" de caminhão a serviço do INSS, mas minha Hérnia não deixou, tentei trabalhar na faxina, não me adaptei.

Nestas duas tentativas, não durou 60 dias.

Sou técnico em Eletrônica há décadas, há uns dois meses ou mais comprei uma estação de retrabalho em SMD(898D), minha primeira.

Estou tentando começar a trabalhar com SMD, retrabalho, reballing e essas coisas.

Enquanto tem pessoas que já estão enjoadas de trabalhar nessa área.

Já fiz alguns serviços com SMD, como free lance, mas por pouco tempo.

Mas, como os materialistas dizem, esse negócio de beleza interior é para os feios e a verdadeira riqueza é a honestidade e caráter, é para os pobres.

Estudo muito a Gnose, pesquiso a Ufologia, tudo dentro dos parâmetros limitados a mim.

Não costumo ficar sem fazer nada, sempre em busca de algo.

Como dizia, antes era quase que impossível ter o que hoje se consegue fácil e de graça na internet.

Existem programas para desenvolvimento de circuitos, antes era na mão e nos cálculos gigantescos.

Até a placa de circuito impresso que era na serigrafia pura, serviço bruto em relação às impressoras de hoje.

Hoje em dia há programas para criação de circuito impresso e também para uma impressão legal, há papéis específicos, coisa que antes não existia, nem em sonho. 

A manutenção eletrônica era bem mais sofrida, não havia Youtube, nem PDF, muito menos DOC.

Hoje tudo está muito fácil e tem pessoas que nem querem saber de aprender ou procurar algum meio de desenvolver seu intelecto profissional.

Estava verificando na internet, tempos atrás, existem muitos equipamentos baratos na China, pelo "Ali" e outros sites.

Demora a chegar, sem contar com os impostos abusivos do governo brasileiro.

Mas, voltando ao papo de antes.

Eu dizia que não sou rico, muito menos pobre, talvez uma escala abaixo disso tudo.

A internet que tenho é de "favor", wi fi, meu irmão me liberava a senha, mas, acho que ele se cansou de não ter nenhum retorno e cortou minha wi fi.

Ele mora na casa da frente e eu nos fundos, na verdade, no meio, é uma casa de esquina.

Em 2011 fui pra Presidente Prudente-SP, encontrei uma mulher, pela internet, achava que era o grande amor de minha vida, minha alma gêmea, nada disso.

De Presidente Prudente-SP fomos morar em Tupã-SP.

Em Tupã-SP ela, "carinhosamente", pediu pra mim vir pro D.F., minha Cidade Natal, eu era bom demais para ela.

Isso foi em dezembro de 2013, dia 21 de dezembro saí de Tupã-SP com destino ao D.F.

Quando voltei, encontrei a casa modificada, meu irmão separou a casa, me colocou num péssimo lugar, muito calor, quase sempre aqui chega a 43 ou 44 graus às três da tarde.

Tem quase um mês que ele cortou a internet, tenho muito a postar em meus vários Blogs(Sete 
Blogs).

Então estou tentando outra senha, mas como desempregado é pior que "bebum", nada popular, estou esperando a providência divina para prosseguir com os Blogs.

Em tudo que foi escrito aqui, afirmo o presente.

Se você conseguiu ler todo esse conteúdo, agradeço.

Visite nosso outro Blog, que também é da Área da Eletrônica, é só Clicar AQUI.

Finalizando este papo, quero ressaltar que as televisões TRC estão tão em baixa no Brasil que ajudei uma amiga a mudar de casa, na mudança, ela me pediu para colocar duas televisões TRC em frente à sua casa, para que alguém a carregasse.

Eu disse a ela que eu iria querer as duas, uma era CCE, com defeito, a outra, não vi a marca, mas era boa e funcionava tudo.

Então, coloquei as televisões em frente à casa, mas pelo lado de fora, ela me disse para não fazer isso, já que eu iria levar para casa, isso era por volta de 19 oras de ontem, dia 18, já que estamos na madrugada do dia 19.

Demorei uns 5 minutos ou menos dentro da casa, preparando o que ia e o que iria ficar, pois ela iria mudar para um lugar menor(apartamento).

Quando fui lá fora pegar as televisões e levar para casa, não havia nem rastro delas, levaram as duas.

CCE era de 20 polegadas, a outra era de 14 polegadas, todas TRC.

E ainda recebo críticas por postar dicas de defeito de televisões TRC.

Sendo que no Brasil ainda a grande maioria das televisões ainda é TRC.

Para os Técnicos, Hobbystas e Engenheiros, desejo o melhor e que tudo transcorra sempre dentro de seus propósitos.