terça-feira, 1 de novembro de 2016

É Bom Saber - Parte 2

3. Podem ser usados equivalentes de um circuito integrado com sufixos diferentes?

Os sufixos dos circuitos integrados podem ter diversos significados.

Os montadores devem estar atentos a isso.

Um primeiro caso ocorre quando o sufixo indica o tipo de invólucro.

Neste caso, o que pode ocorrer é que um circuito integrado com sufixo diferente do original venha com um invólucro de tamanho diferente ou número de pinos diferentes.

Um segundo caso está nas próprias características elétricas do componente.

O sufixo pode indicar que aquele circuito integrado opera com uma faixa diferente de tensões de alimentação ou ainda tem um ganho diferente.

Um caso mais grave que ocorre com estes sufixos é que eles podem indicar o tipo de configuração em que o componente é usado.

Por exemplo, é comum que nos amplificadores de áudio integrados tenhamos sufixos diferentes para componentes que funcionam em sistemas estéreo (canais separados) e ligados em ponte. 

Em todos os casos, o leitor que usar um componente com sufixo diferente do indicado pode ter problemas sérios com o projeto.

4. Posso usar um capacitor eletrolítico de tensão maior que a exigida originalmente num projeto?

Muitos leitores não sabem, mas a capacitância apresentada pelo capacitor eletrolítico é levemente dependente da tensão em seus terminais. 

Isso significa que um eletrolítico terá a capacitância indicada, quando submetido a uma tensão numa faixa próxima a sua tensão de trabalho.

Num projeto podemos usar um capacitor eletrolítico para uma tensão maior que a original, mas não muito.

Por exemplo, de um capacitor de 400 volts, onde se pede um de 6 volts, pode resultar em problemas, pelo fato do componente também não apresentar a capacitância esperada.

Uma tolerância de até 100%, utilizando-se um capacitor com até o dobro da tensão indicada é tolerada.

Lembramos apenas que capacitores para tensões maiores também são fisicamente maiores e pode não haver espaço suficiente para sua instalação.