domingo, 6 de novembro de 2016

É Bom Saber - Parte 10

26. Que cuidados devemos ter ao manusear componentes MOS?

Os componentes MOS (Metal Oxide Semicondutor) possuem uma camada finíssima de um óxido metálico isolante (que lhe dá nome), isolando os seus diversos elementos, por exemplo, a porta do substrato.

Esta capa pode ser facilmente rompida por qualquer descarga de uma tensão mais elevada como, por exemplo, a provocada pela eletricidade estática acumulada em nosso corpo.

Assim, basta o contato dos dedos nos terminais destes componentes para que a descarga produzida seja suficiente para furar esta capa, e assim inutilizá-lo.

Circuitos integrados MOS, transistores de efeito de campo, circuitos de memórias de computadores e outros são alguns exemplos de componentes que não devem ser seguros pelos terminais.

27. O que é impedância?

De que modo um circuito "vê" outro, para o qual deve transferir o sinal, pode ser medido por uma impedância.

A impedância nada mais é do que a "resistência" que um circuito representa, mas em termos de corrente contínua ou alternada, ou seja, é composta por uma resistência pura, uma capacitância e uma indutância.

Um circuito só consegue transferir para outro toda a energia de que ele dispõe, quando sua impedância de saída é igual a da entrada do outro circuito que deve receber os sinais.

Por este motivo, para que os sinais de uma etapa para outra de um circuito ou de um equipamento para outro sejam transferidos de modo eficiente, deve haver um casamento de impedâncias entre eles, ou seja, suas impedâncias devem ser iguais.

Um caso importante a ser observado é o da entrada de certos circuitos que não necessitam necessariamente de todo o sinal que lhes pode ser fornecido para funcionar.

Por exemplo, se um amplificador pode fornecer uma potência em sua saída de 1 watts, mas o circuito que ele deve excitar só precisa de 1 mW, as impedâncias não precisam ser casadas exatamente.

Basta que a tensão de saída do circuito que excita atinja o valor mínimo que o outro exige, mesmo que a potência transferida seja menor, para que haja o bom funcionamento do circuito que deve receber o sinal.

Num amplificador, se ligarmos alto-falantes com impedância total igual a da saída, teremos o melhor rendimento.

Com uma impedância menor, o sistema ainda funciona mas a potência de áudio obtida será menor. 

O perigo está em usar alto-falantes com impedâncias menores que a saída do amplificador.

Os circuitos podem ser forçados ocorrendo a queima de componentes.